Apresentação da candidatura autárquica de Sintra do Bloco de Esquerda.

Ver notícia completa no site Tudo Sobre Sintra

A manifestação do 25 de abril e do 1º de Maio, o comício internacional com Alexis Tsipras (SYRIZA), o falhanço das políticas de austeridade e o plano de emergência social apresentado pelo Bloco de Esquerda para responder à crise são alguns dos temas deste tempo de antena com Catarina Martins e João Semedo. O tempo de antena será emitido na terça-feira antes do telejornal da noite da RTP1.

A deputada Helena Pinto refere que este “colóquio é o início” de um trabalho, e assinala que “percebemos como mudou radicalmente o perfil dos sem-abrigo, como o desemprego destrói as vidas, como perder a casa é a angústia de velhos e de novos”.

"A minha candidatura à Câmara de Lisboa e da Ana Drago à Assembleia Municipal significa uma vontade do Bloco de Esquerda de ter uma grande campanha política, que tenha como resultado a eleição de um vereador”, diz João Semedo.

Após uma reunião com representantes dos inquilinos lisbonenses, Catarina Martins frisou que o Bloco “está desde o primeiro momento a pedir a revogação desta lei, que apenas promove os despejos, não fez nada sobre o mercado de mercado e que retira o direito à habitação”.

Catarina Martins diz, durante a manifestação em Lisboa, que “um primeiro-ministro que tivesse um mínimo de dignidade política e pessoal, depois de ver esta multidão, na rua, que lhe diz 'não', não teria outro caminho senão demitir-se”.

Os aumentos tarifários levados a cabo pelo Governo em 2013 ultrapassam os 20% e chegam a atingir os 61,4%, de acordo com as novas tabelas de preços publicadas pelas empresas de transportes públicos da região metropolitana de Lisboa e do Porto. A coordenadora do Bloco, Catarina Martins, anunciou a entrega de um “projeto de resolução na AR para que estes aumentos não possam acontecer”.

O secretário-geral da CGTP Arménio Carlos e a coordenadora bloquista Catarina Martins falaram ao esquerda.net durante a manifestação deste sábado que exigiu o veto ao OE'2013.

Centenas de pessoas desfilaram do Largo do Calvário até Belém, gritando: “Merkel fora de Portugal”. Catarina Martins afirma que “a chanceler Merkel veio a Portugal, como quem vai ao seu protetorado, ver se o país está a ser suficientemente destruído, em nome dos interesses da finança alemã e internacional”.

A pobreza alastra no país e na nossa cidade. É preciso virar isto ao contrário. Campanha contra a Pobreza - mais aqui.

Um milhão de pessoas gritou por uma mudança de rumo, na maior manifestaçãao desde o 1º de Maio de 1974. A demissão de Passos Coelho, a saída da troika de Portugal e o fim da austeridade são as exigências da população. Reportagem do Esquerda.net na manifestação de 15 de Setembro “Que se lixe a troika, queremos as nossas vidas”.  

No dia em que os preços dos transportes públicos aumentam de novo, o Governo anunciou que vai dar mais 600 milhões de euros ao BPN. O Bloco de Esquerda esteve com os utentes na estação do Campo Grande, em Lisboa.

Com a adesão ao primeiro dia de greve a rondar os 95%, milhares de médicos concentraram-se à porta do Ministério da Saúde em defesa do SNS e contra a precarização dos profissionais de saúde.

O deputado Luís Fazenda comenta o veto do presidente da República à lei da reorganização administrativa de Lisboa, reafirmando que o Bloco não se opõe a uma reorganização das freguesias, mas discorda do método utilizado e da falta de auscultação das populações. O deputado aponta também a ausência de um processo concertado entre os municípios de Lisboa e Loures.

Numa altura em que outras cidades europeias estão a instalar linhas novas, uma das cinco carreiras de eléctrico que ainda resistem em Lisboa vai ser suprimida no final de Fevereiro.
Os eléctricos são um meio de transporte ecológico, uma das maiores atrações turísticas da cidade e um símbolo de Lisboa. O fecho da carreira 18 é um atentado ao património cultural e histórico de Portugal.
(Fotos e Edição de Paulete Matos)